Que coisa louca fazem os diretores executivos mais aventureiros nas redes sociais?

  • 19 de novembro de 2014
  • 11205x

Fazem simplesmente como eu. Aceitam todos os convites LinkedIn e todas as solicitações de amizade no Facebook. Pelo menos, deveriam. Porquê faço isso? Continue a ler, e vai entender.

Jaroslav Šedivý

Não, não estou louco. Tenho bons motivos para aceitar todos os convites nessas duas redes sociais, motivos que considero aceitáveis.

Estes são os meus 10 motivos...

  1. «Privacidade», o que é isso?

    Nunca entendi as pessoas que criam debates sobre a privacidade na Internet. Não é para tanto! O que é o que as pessoas sabem sobre mim? Nada! Sou o único a controlar as informações que partilho sobre mim no Facebook e nas outras redes sociais.
  2. Recomendações

    Com certeza deve saber que a maneira mais simples para conseguir um bom trabalho é ter sido recomendado por alguém. Se um dia me passar pela cabeça trabalhar para alguém, as probabilidades de conseguir o trabalho seriam muito mais altas com uma ampla rede de contactos.
  3. Empresa personificada

    A maior parte dos meus contactos encontraram-me através da minha empresa, Teahouse. Ao se conectarem comigo, Teahouse deixa de ser considerada como uma empresa anónima e passa a ter uma dimensão pessoal. Teahouse é então considerada como uma empresa de confiança.
  4. Conselhos

    Duas cabeças pensam melhor do que uma. Quando preciso de opiniões, posso pedir conselho no Facebook ou no LinkedIn, e depois de alguns minutos (ou horas), recebo muitas respostas. As pessoas dizem-me o que pensam sobre a minha decisão, ou então dizem-me o que teriam feito de maneira diferente no meu lugar.
  5. Participação mais forte

    As pessoas que me adicionaram participam mais facilmente nas conversas, nos debates e nos concursos do que as pessoas que simplesmente fizeram «like» na página da minha empresa Teahouse.
  6. Simplicidade

    Não tenho tempo, nem vontade de gerir duas contas diferentes em cada rede social: uma conta pessoal, e uma conta «pessoa pública». Agora, só tenho uma conta bem gerida e estou muito satisfeito assim.
  7. Uma garantia para os clientes

    Quando temos diretores executivos nas nossas listas de amigos, ficamos mais tranquilos, não é? Assim podemos sempre contactar um alto responsável no caso em que não estivermos satisfeitos com o serviço de atenção aos clientes. (Se não estiver satisfeito com os serviços da Teahouse, não hesite em contactar-me, e farei o que for necessário para resolver a situação. Penso realmente o que digo!)
  8. Aventura

    Quando se gosta do marketing online como eu gosto, isto representa um bom desafio. Serei cauteloso quando for velho. Sou demasiado curioso para não tentar algo assim.
  9. Pontuação no Klout

    Quanto mais contactos tenho nas redes sociais, mais círculos de contactos tenho com quem partilhar os meus conteúdos, e mais aumenta a minha pontuação no Klout. Não sou o Barack Obama, e não é o meu objetivo... Espero eu.
  10. Vitamina B

    «O quê? Uma vitamina?» Exatamente. Os alemães utilizam o termo «Vitamina B» (Beziehung) para referir-se a um privilégio, uma vantagem que se tem quando se está a procura de um trabalho por exemplo. Ter o diretor executivo da Teahouse na sua lista de contactos pode não o ajudar muito na vida...

Mas não o ter de certeza que não vai o ajudar.

Está pronto para verificar se realmente aceito todos os convites e todas as solicitações de amizade?

Adicione-me no LinkedIn.

Ou no Facebook.

Jaroslav Šedivý CEO Teahouse Transport

Comentários